O QUE ONDAS CEREBRAIS SIGNIFICAM PARA VOCÊ

O cérebro é um órgão elétrico onde existem aproximadamente 100.000.000.000 de neurônios. E, ao contrário do mito de que os humanos usam apenas uma pequena porcentagem do cérebro, a maioria desses neurônios é ativa a maior parte do tempo. Isso cria um desafio de comunicação entre as partes, de como sincronizar um número impressionante de sinais elétricos individuais em diferentes seções do cérebro, a fim de permitir uma atividade cerebral coordenada.

As ondas cerebrais são características da atividade elétrica do cérebro, produzida por pulsos elétricos sincronizados de massas de neurônios que se comunicam entre si.

As ondas cerebrais vêm sendo estudadas desde 1930, quando Hans Berger inventou o EEG com o objetivo de monitorar a variação elétrica na superfície do crânio humano. Essa invenção permitiu que uma nova linha de pesquisa surgisse, a análise das ondas cerebrais, chamada de neurofeedback.

As pesquisas em neurofeedback com o auxilio do EEG nomearam as freqüências básicas de funcionamento do cérebro .A velocidade das ondas cerebrais é medida em Hertz (ciclos por segundo) e são divididas em bandas que delineiam ondas lentas, moderadas e rápidas : gamma (30-70Hz), beta (13-30Hz), alpha (8-13Hz), theta (4-8Hz) e delta (1-4Hz) , Cada uma dessas ondas foi correlacionada com estados da consciência humana.

As oscilações observadas com o uso dos EEG refletem a atividade do córtex, que é uma das partes mais desenvolvidas do cérebro por ser rico em neurônios. Diz-se que sem o córtex não existiriam a razão, emoções e até a memória. Por isso o córtex é responsável por todo o desenvolvimento criativo do cérebro e é como se fosse o processador, se comparado com um computador. A amplitude dessas atividades corticais é observada em intervalos que são por sua vez relacionados com estados de consciência, sendo a amplitude destes diretamente proporcionais ao número de neurônios em atividade no córtex.

Como as ondas cerebrais são medidas

Ao medir as ondas cerebrais , os três principais componentes de interesse são a frequência, a amplitude e a fase. Usar a analogia das ondas sonoras pode ajudar a ilustrar essas três características das ondas cerebrais:

Frequência refere-se ao número de impulsos ao longo de um período de tempo. No caso das ondas sonoras, uma frequência mais alta significa um tom mais alto. No caso das ondas cerebrais, uma frequência mais alta significa uma célula que cria impulsos elétricos com maior frequência.

Amplitude refere-se à intensidade relativa da onda. No caso das ondas sonoras, uma amplitude maior significa um som mais alto. No caso das ondas cerebrais, uma amplitude maior pode significar um maior número de neurônios disparando juntos de uma só vez.

Fase , neste caso, refere-se à sincronia temporal de diferentes formas de onda juntas. Para as ondas sonoras, se duas ondas com frequências diferentes (alturas diferentes) estiverem “em fase”, isso provavelmente significará que proporcionam uma combinação agradável e eufônica quando tocadas juntas (por exemplo, um acorde maior). Quando duas ondas sonoras distintas estão desfasadas, isso pode significar discórdia (por exemplo, um trítono). Para ondas cerebrais, estar em fase geralmente significa ter picos de atividade em sincronia.

Ondas Gamma

As ondas cerebrais gama são as mais rápidas das ondas cerebrais definida por freqüências entre 30Hz e 70Hz , e relacionam-se ao processamento simultâneo de informações de diferentes áreas do cérebro. é correlacionada ao processamento de estímulos visuais, táteis e auditivo sendo influenciada principalmente pela reação visual. Um desses estudos referencia o uso de luzes piscantes para a indução deste tipo de onda.

Estas ondas cerebrais transmitem informações de forma rápida e silenciosa. a mente tem que ficar quieta para acessar gama.

As ondas gamma estão presentes o tempo todo na mente humana, mesmo quando estamos dormindo. A única ocasião em que não existem ondas gamma é em transe por anestesia. Esse intervalo de freqüências tem relação com a velocidade com que podemos nos lembrar de momentos, geralmente lembranças visuais. Quanto maior a freqüência gamma, mais rápido é possível lembrar-se de algo que foi esquecido e mais informações podem ser guardadas na memória de curto prazo.

A gamma tem sido objeto de estudos recentes, com relação a seus efeitos na meditação. Pesquisadores descobriram que era altamente ativa quando em estados de amor universal, altruísmo e “virtudes mais elevadas”.Um desses estudos demonstrou que a sensação de amor e gentileza, atingida pelos praticantes de meditação Budista, é uma auto-indução de ondas gammas de alta amplitude com perfeita sincronização entre elas. Este estado alcançado pela meditação é expressado como um estado de amor profundo por todos os seres .

A gama também está acima da freqüência de disparo neuronal, então, como ela é gerada, permanece um mistério. Especula-se que os ritmos gama modulam a percepção e a consciência, e que uma maior presença de gama se relaciona com a expansão da consciência .

Ondas Beta

Este estado de consciência, que varia entre as frequências de 13Hz à 30Hz, é conhecido como estado de vigília nosso estado normal de consciência quando a atenção é direcionada para tarefas cognitivas e para o mundo externo Beta é uma atividade “rápida”, presente quando estamos atentos, envolvidos na resolução de problemas, julgamento, tomada de decisão ou atividade mental focada. . . Estas frequências, porém, não se apresentam sozinhas, elas geralmente coexistem com outras frequências, principalmente com as ondas gamma.

Ondas cerebrais beta são divididas em três bandas; Lo-Beta (Beta1, 12-15Hz) pode ser pensado como um ‘rápido ocioso’, ou meditando. Beta (Beta2, 15-22Hz) tem um alto engajamento ou está ativamente descobrindo algo. Hi-Beta (Beta3, 22-38Hz) é um pensamento altamente complexo, integrando novas experiências, alta ansiedade ou excitação. O processamento contínuo de alta frequência não é uma maneira muito eficiente de executar o cérebro, já que requer uma tremenda quantidade de energia.

Geralmente o estado beta é associado a emoções fortes como medo, raiva, ansiedade, alerta, atenção seletiva, concentração e antecipação. Outros estudos mostram que estas ondas estão presentes em grande quantidade quando é necessário desenvolver soluções matemáticas para problemas . Este tipo de onda raramente se apresenta durante a meditação, porém ocorre geralmente com os mais experientes .

Ondas Alpha

Esta onda é definida pelas frequências entre 8 e 13 Hz e ocorre durante a atenção plena, durante pensamentos que fluem tranquilamente e em alguns estados meditativos. Alpha é “o poder do agora”, estando aqui, no presente. É o estado de repouso do cérebro e é também associado a processos imaginativos. As ondas Alpha ajudam a coordenação mental geral, a calma, a atenção, a integração mente / corpo e a aprendizagem.

Alpha é o estado de consciência mais afetado pela publicidade realizada durante as últimas décadas. Durante este estado, a atividade cortical ocorre em áreas do cérebro que não estão focadas em um estímulo sensorial, ou seja, caso um estímulo visual esteja presente as regiões referentes aos estímulos táteis e sonoros vão sofrer um aumento da atividade alpha. Outro casos de aumento do nível alpha é enquanto ocorre a busca de informações no cérebro, como quando uma pessoa tenta memorizar uma lista de palavras

Com certeza as ondas alphas foram as mais estudas, sempre sendo associadas a saúde mental de um indivíduo. Um desses estudos foi realizado com praticantes de Hatha Yoga, um tipo de yoga que alcança as ondas alpha através da concentração em uma única posição corporal por muito tempo. Este método de yoga é um dos tantos que consegue eliminar completamente os estímulos externos, deixando o individuo “internalizado” eliminando assim a poluição mental .

Ondas Theta

As ondas cerebrais theta ocorrem com mais frequência durante o sono, mas também são dominantes na meditação profunda.

As ondas theta referem-se a um estado de baixa consciência. Essas ondas estão entre 4 e 8Hz e sua ocorrência está associada a estados hipnóticos, emoções, durante os sonhos e no sono REM. A theta é a nossa porta de entrada para a aprendizagem, a memória e a intuição. Em theta, nossos sentidos são retirados do mundo externo e focados em sinais originados de dentro. É esse estado que normalmente só experimentamos rapidamente quando acordamos ou adormecemos. Em theta nós estamos em um sonho; imagens vivas, intuição e informação além da nossa percepção consciente normal. É onde guardamos nossas ‘coisas’, nossos medos, história conturbada e pesadelos.

Estudos mostram que essas ondas estão relacionadas com a memória de curto-prazo. Estes mostram que tais ondas ficam presentes quando o individuo está guardando informações, mantendo a “atualização” do cérebro constante (Lisman e Idiart, 1995).

Esta hipótese diz que as memórias de um indivíduo são atualizadas pelas ondas theta, porém são “armazenadas” curtamente pelas ondas gamma. É sugerido que um adulto normal consegue guardar por volta de 7 informações na memória de curto prazo, isso porque a cada ciclo gamma (40Hz), cabem aproximadamente 7 ciclos Theta (6Hz) (Miller, 1956). Portanto, durante este estado o desenvolvimento da memória é aumentado e há melhora da memória de longo prazo. Este estado é muito difícil de ser estudado, pois não é possível ter um controle por longo tempo dele sem que as pessoas adormeçam (Siever, 1999). Na figura 4.4 podesse observar o formato da uma onda tetha.

Ondas Delta

As ondas cerebrais Delta são ondas cerebrais lentas e altas.Este ritmo é encontrando durante o sono profundo sem sonhos ,com freqüências entre 1 e 4 Hz. Quando maior a porcentagem de ondas delta no cérebro, mais profundo é o sono.

Em estados meditativos praticamente não há ondas delta, apenas em praticantes extremamente experientes, principalmente por ser incrivelmente difícil manter-se consciente estando em delta.

As ondas delta suspendem a consciência externa e são a fonte da empatia. A cura e a regeneração são estimuladas nesse estado, e é por isso que o sono restaurador profundo é tão essencial para o processo de cura.

Ondas Mu

O ritmo mu é um ritmo central normal da frequência de atividade alpha, geralmente na faixa de 8 a 10Hz, que ocorre durante a vigília, por vezes mais evidente durante a sonolência quando os olhos estão abertos.

São padrões sincronizados de atividade elétrica envolvendo grandes números de neurônios na parte do cérebro que controla o movimento voluntário. Por isso Mu está presente quando o corpo está em repouso, mas o ritmo é “suprimido” ou “bloqueado” quando a pessoa realiza uma ação motora, ou, após a prática, quando a pessoa vê a outra ou visualiza uma ação motora.

Alguns estudos mostram que a atividade Talfa pode ajudar com o stress, raiva e ressentimento por traumas no passado. Quando este estado não é induzido propositadamente, é sinal de uma saúde mental pobre. A produção em longo prazo, descontrolada, não intencionalmente de Talfa é encontrada freqüentemente em pessoas que sofrem de desordens de ondas cerebrais lentas, como deficit de atenção, síndrome pré-menstrual, desordem afetiva sazonal, fibromialgia, depressão e síndrome de fadiga crônica. Foi observado que as ondas Talfas se apresentam em maior quantidade conforme os indivíduos vão atingindo a maturidade, enquanto a quantidade de ondas theta e delta diminuem. Resumidamente isto significa que conforme ocorre o envelhecimento, a capacidade de focar em coisas em particular aumentam e a distração diminui.

O QUE ONDAS CEREBRAIS SIGNIFICAM EM NOSSA EXPERIÊNCIA DIÁRIA

Nosso perfil de ondas cerebrais e nossa experiência diária no mundo são inseparáveis. Quando nossas ondas cerebrais estão fora de equilíbrio, haverá problemas correspondentes em nossa saúde emocional ou neuro-física. Pesquisas identificaram padrões de ondas cerebrais associados a todos os tipos de condições emocionais e neurológicas.

A excitação excessiva em certas áreas do cérebro está relacionada a distúrbios de ansiedade, problemas de sono, pesadelos, hipervigilância, comportamento impulsivo, raiva / agressão, depressão agitada, dor crônica do nervo e espasticidade. A falta de excitação em certas áreas do cérebro leva a alguns tipos de depressão, déficit de atenção, dor crônica e insônia. Uma combinação de excitação e excesso de excitação é observada em casos de ansiedade, depressão e TDAH.

Instabilidades nos ritmos cerebrais se correlacionam com tiques, transtorno obsessivo-compulsivo, comportamento agressivo, raiva, bruxismo, ataques de pânico, transtorno bipolar, enxaqueca, narcolepsia, epilepsia, apnéia do sono, vertigem, zumbido, anorexia / bulimia, PMT, diabetes, hipoglicemia e explosivos comportamento.

Por regra geral, qualquer processo que muda sua percepção muda suas ondas cerebrais.

Intervenções químicas, como medicamentos ou drogas recreativas, são os métodos mais comuns para alterar a função cerebral; no entanto, os métodos como a meditação e a ioga Córtices , Tapping para reversão fortalecem e harmonizam suas ondas cerebrais.

Interconexão

Início |Fórmula da cocriação |@Interconexão | Ferramentas Quânticas/Produtos


Um comentário sobre “O QUE ONDAS CEREBRAIS SIGNIFICAM PARA VOCÊ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s