Arquétipos das Deusas – Deméter

Deméter possuindo um temperamento introvertido (oposto a Afrodite), uma espécie de alma gentil, ela pagava as pessoas bem mesmo pelos menores favores. Ela está preocupada em suportar, educar e criar filhos e família. O dela é um “amor materno” contido. Sua consciência é difusa. Deméter pertence à categoria de deusa “vulnerável” – ela foi estuprada por Poseidon, bem como por Zeus. Sua filha, Perséfone, foi tirada dela e, embora tenha sido devolvida por algum tempo, ela foi forçada a deixar sua mãe, Deméter, por uma período de cada ano quando ela vai para o submundo com Hades e o Olimpo desde então experimenta o inverno.

Deméter era a deusa da terra, da agricultura e da fertilidade. Conhecida como a deusa do milho, ela simboliza o poder regenerativo da Terra sobre todas as coisas vivas. Um feixe de trigo maduro era seu símbolo principal. Ela presidiu a colheita e todos os trabalhos agrícolas. Ela era frequentemente esculpida como uma figura matronal, sentada. Deméter é o arquétipo da mãe que representa o instinto materno, que busca satisfação através da gravidez e da maternidade – ou uma via paralela que fornece alimento (psicologicamente, espiritualmente) ou cuidados. Uma mulher predominantemente tipo Deméter, cujos impulsos maternais são frustrados, pode estar sujeita à depressão.

Deméter era possivelmente a mais velha dos deuses / deusas, e, como Hera que nasceu depois, foi engolida pelo pai e, como Hera, era companheira de Zeus e também de seu irmão. Deméter é conectada com os Mistérios Eleusinos – um ritual que celebra o nascimento anual e a morte do milho. Ela está conectada com a perpetuação do suprimento de alimentos para grandes populações. Deusa Deméter é anterior aos gregos, ela era a antiga Mãe Terra. Demeter e sua filha, Perséfone, são dois aspectos diferentes da mesma deusa – Perséfone (Kore), a donzela e Deméter, a Mãe.

Uma mulher primariamente do tipo Deméter procura um homem pela segurança e não pelo companheirismo intelectual ou sexual. Desta forma, a segurança que ele oferece lhe fornece um meio de direcionar sua atenção àquilo que mais importa para ela, em casa, dando à luz filhos e alimentando-os.

Veja o Questionário de Tipologia da Deusa

Deméter representa o arquétipo da mãe. Sua própria avó era Gaia, a personificação da própria Terra. Sua mãe era Rhea e seu pai, Cronos. Evidências arqueológicas apontam para um significativo culto da Deusa na civilização minóica de Creta (c.3000-1000 aC); e a sociedade micênica da Grécia (c. 1600-1400 aC) sugerindo suas antigas origens matriarcais muito antes dos antigos gregos.

A expressão do arquétipo de Deméter em uma mulher é mais do que meramente maternagem física; expressa-se em sua obrigação instintiva de cuidar de todo e qualquer necessitado, particularmente dos jovens necessitados e indefesos.

História mitológica:

◦ Para os romanos, Deméter era conhecida como Ceres.

◦ Foi a segunda filha nascida de Rhea e Cronos (também engolida por ele)

◦ Ela é conhecida como a mãe dolorosa cuja filha, Persephone (Kore), foi roubada dela – sequestrada por Hades e levada ao submundo para ser sua rainha. Em sua raiva e tristeza pelo rapto, Deméter proibiu a terra de produzir plantas – nada poderia crescer, nada poderia nascer – até que sua filha fosse devolvida.

◦ Deméter restaurou a fertilidade e cresceu na terra; ela ofereceu os Mistérios Eleusinos através dos quais as pessoas adquiriram discernimento em uma razão para viver com alegria e poder enfrentar a morte sem medo.

◦ Ela é celebrada com os mistérios de Elêusis no início do outono e no final do inverno, coincidindo com a perda e o retorno de sua filha Perséfone (Kore). Esta celebração / festival / ritual é mais antiga que os mitos gregos, possivelmente de 4000 a 1000 aC.

◦ Ela é a deusa da fecundidade, fertilidade e regeneração. Rege as colheitas e os ciclos reprodutivos.

◦ Demeter simboliza os ciclos dinâmicos da natureza que ocorrem dentro do corpo da Terra – morte e renascimento – e dentro do corpo de cada mulher

◦ Ela tem uma identidade mística compartilhada com sua filha do submundo, Perséfone, Rainha dos Mortos – e, de fato, diz-se que é uma e a mesma deusa.

◦ Conhecida também como Mãe Terrível e deusa da Morte, ela carrega os lados oposto e complementar de Deméter – Mãe Amorosa

◦ Demeter representa o arquétipo da gravidez, maternidade, nutrição, crescimento e o mistério de plantar a semente. A fertilização e o cultivo, a doação e a entrega.

Desafios enfrentados por Demeter

Embora Demeter tenha desempenhado um papel fundamental na sobrevivência de todas as coisas que vivem e crescem, ela era impotente para impedir o sequestro de sua filha, nem foi capaz de alcançar seu retorno imediato. Demeter foi “vitimizada” e seus pedidos foram ignorados. Ela pertence à categoria da deusa “vulnerável”.

As mulheres tipo Deméter enfrentam temas semelhantes em suas vidas: sentem-se vitimizadas por pessoas ou circunstâncias de suas vidas, sentem falta de poder para causar mudanças em sua angústia, ou desabafam ou reprimem sua raiva, seus sentimentos de impotência levam à depressão.

A mulher tipo Deméter, sentindo-se compelida a ajudar ou tendo dificuldade em recusar qualquer pedido feito por ela, pode se comprometer demais e depois sentir-se oprimida em sua vida – outro aspecto dos sentimentos de impotência. Ela pode desconsiderar seus próprios sentimentos, julgando-os. Ela pode estar sujeita à autopiedade até examinar suas próprias reações instintivas ao “dar”.

A mulher que vivencia esse arquétipo sentindo-se super comprometida, sobrecarregada, ‘enchendo’ sua raiva e/ou ressentimento pode experimentar sintomas somáticos como dor nas costas, pressão alta, dores de cabeça, fadiga crônica e depressão crônica devido à dificuldade em expressar suas próprias necessidades e sentimentos, ou em estabelecer limites. A mulher de Deméter que luta com essas questões pode se tornar cada vez mais apática, levando-a a uma depressão e falta de sentido mais profundas. A raiva pode estar subjacente à depressão – raiva pelo “significado” que ela sente ter sido tirada dela.

O arquétipo Demeter pode ter várias expressões possíveis em uma mulher do tipo Demeter:

  • Como no mito de Deméter, ela deu à humanidade conhecimento espiritual que os ajudou a viver suas vidas mais completa e alegremente – esse tipo de Deméter terá aprendido com suas próprias experiências de vida – descobriu seu próprio significado através de suas decepções e perdas na vida; e, como resultado, ela é capaz de compartilhar sua generosidade e sabedoria com os outros.
  • Com raiva e luto pelo sequestro de sua filha, esse tipo de Deméter, na maioria das vezes se sente desapontada por sua vida não corresponder às suas expectativas sobre o que achava que seria sua vida. Ela se identifica com a perda e o luto de Deméter, um sentimento de traição e amargura crescente que não permite que nada na terra cresça.

Lado escuro de Deméter

Quando Deméter se entristeceu com o rapto de sua filha, ela parou de funcionar e exigiu que a terra parasse de produzir. A fome então ameaçava a humanidade. Esse aspecto destrutivo de Deméter em mulheres tipo Deméter pode ser visto como uma retirada – retirar seus interesses da vida, de sua família e amigos.

Algumas mães de Deméter podem retirar a aprovação de seus filhos quando a criança começa a exibir mais autonomia do que a mulher de Deméter se sente confortável. Ela precisa se sentir necessária. Ela pode, inadvertidamente, ter necessidade de promover a dependência.

Ferida de Deméter

A dor e a raiva de Deméter pela perda de sua filha, Kore (Perséfone) e seus sentimentos de impotência para impedir o sequestro ou influenciar seu retorno imediato.

O Segredo de Eleusis, para o qual Deméter é celebrada, tem a ver com o renascimento da morte. Sua filha estava perdida para ela (no submundo), mas retorna para ela toda primavera.

Outro aspecto da ferida de Deméter é a perda, para toda mulher, de uma fase particular de seu ciclo de vida: donzela (filha inocente e intocada); A mãe perdeu seus filhos adultos em seus próprios casamentos; Crone – perda biológica na menopausa. Cada uma dessas fases tem a oportunidade de emergir em uma nova fase da consciência.

Para as mulheres tipo Deméter, curar a ferida pode envolver reconhecer sentimentos “desagradáveis”, sentir a “perda” (seja ela qual for – interpessoal ou conceitual), passar pelo processo de luto, sentir a raiva e, finalmente, reunir-se a si mesmo em outro nível.

Outro aspecto da ferida de Deméter é cultural em seu efeito: As culturas europeias / americanas modernas desvalorizaram o papel que a mãe / família desempenha na sociedade, como evidenciam as famílias monoparentais em constante crescimento, mais de 60 horas de trabalho por semana, bebês em creche. Trava-chave ‘crianças, e acima de tudo, a mudança nos valores em direção ao aumento do consumismo. Tão recentemente quanto no século 19, um tipo Demeter gozaria de uma vida amplamente satisfatória com dignidade e autoridade: ela era parte integrante de coleta, colheita, enlatamento e armazenamento de alimentos para sua família, bem como para o mercado. Ela assou pão; alimentos cozidos, nutritivos e naturais. Ela viveu como parte de uma comunidade, em vez de ficar isolada em sua casa espremida em um lote pequeno ao lado de casas idênticas em subdesenvolvimentos lotados. A maioria das mães também são mulheres que trabalham fora de casa. Elas normalmente estão exaustas de transportar seus filhos para a escola, para esportes, para aulas de música / dança (e a lista continua) – exaustas demais e sobrecarregadas demais para sequer considerar muito menos demonstrar qualquer interesse em cultivar a arte de plantar e colher, de preparação alimentos naturais e saudáveis para sua família. (Não como uma obrigação, mas como um aspecto próprio) As famílias estão fragmentadas – os membros estão em movimento – ninguém está em casa para sentar-se à mesa de jantar, juntos, como família para compartilhar uma refeição e discutir o dia juntos.

Presentes de Demeter

◦ O amor e a unidade primitivos criam um vínculo mágico entre mãe e filha.

◦ Deméter nutre-se espiritualmente e fisicamente.

◦ Consciência matriarcal – alimentando a terra, celebrando os ciclos da vida, plantando, cuidando, dando à luz e auxiliando na transição chamada morte

A personalidade de Demeter

Quando criança e adolescente:

▪ Quando jovem, muito identificada com a mãe, os interesses e preferências da jovem mãe de Deméter também se tornam ela própria. Ela adora brincar e nutrir suas bonecas – ela adora ser a “pequena ajudante” de sua mãe.

▪ Sua natureza é doce e despretensiosa

Quando adolescente, ela está ansiosa para tomar conta dos vizinhos.

▪Jovens tipos Demeter que não têm maternidade adequada podem ansiar na adolescência por um filho próprio sobre o qual se esbanja o amor materno que perderam.

▪ As jovens tipos Demeter normalmente não são motivadas a experimentar sexo por amor ao sexo. Ela pode querer se casar cedo para começar a criar sua própria família. Se ela escolher a faculdade, ela provavelmente se preparará para uma profissão de ajuda.

Como mulher adulta:

▪ Trazer crianças para o mundo é a maior alegria de Deméter. Ela encontra sua realização na maravilha de seus filhos – observando-os crescer e emergir em indivíduos felizes.

▪ Natureza materna e complacente – Uma mulher com forte influência Deméter é quase incapaz de dizer “não” a outras pessoas e, portanto, tem a tendência de se esgotar ao assumir muitas tarefas. Ela tem um forte senso de responsabilidade.

▪ Os tipos Demeter são excelentes em perseverança e paciência. Ela geralmente é generosa, fiel a indivíduos e princípios, tanto que outros a vêem como teimosa. Ela é prática, calorosa e direcionada para o exterior.

Deméter e Afrodite são ‘opostos’ – ambos governados pelo Amor – a diferença é que o Amor de Deméter é para a criança.

▪ Apanhada na maternidade, a mulher tipo Deméter odeia a ideia de deixá-la em casa – ela tem pouco interesse em se vestir ou sair, ela tem pouco interesse em ler, a menos que seja um livro de receitas ou um livro prático que aprimore suas habilidades. ao redor da casa

▪ Tipo Demeter ama tempo gasto com tricô, costura, jardinagem.

▪ Os tipos Demeter adoram encontrar novas receitas para cozinhar para os outros – ela não gosta de cozinhar sozinha.

▪ Em relação aos filhos, ela é infinitamente engenhosa, tolerante, altruísta.

▪ Uma consciência predominantemente Deméter tipicamente não expressa um forte impulso sexual – ela tende a ser mais desejosa de abraçar, expressando calor emocional.

▪ O tipo de Demeter adoraria ter mais filhos do que menos e, se pudesse, continuaria a fazer bebês o mais tarde possível, evitando assim uma mudança de foco necessária no próximo estágio de sua vida madura.

▪ As amizades da mulher tipo Deméter tendem a abranger uma ampla gama de classes sociais – ela tende a ver o status social como irrelevante – ela se preocupa com pessoas de todas as esferas da vida.

O arquétipo da mãe/nutridor da terra pode ser expresso de outras formas não limitadas a maternidade. Os tipos Demeter podem ser atraídos para qualquer carreira na profissão de ajuda: enfermagem, ensino (especialmente crianças mais jovens), aconselhamento (especialmente crianças), cozinheiro, padeiro, bufê, educação especial, costureira, jardineiro.

A mulher tipo Deméter que atinge sua fase de meia-idade, muitas vezes sente uma grande sensação de perda quando seus filhos saem de casa e criam suas próprias vidas. Alguns tipos Demeter encontram-se grávidas aos quarenta anos,uma oportunidade de evitar enfrentar o próximo segmento de sua vida e a oportunidade de experimentar um arquétipo da deusa diferente – portanto, ela atrasa,evita explorar o que mais poderia descobrir em sua vida.

É importante que uma mulher de Deméter aprenda a cuidar de si mesma e a cuidar de si mesma como se fosse sua própria mãe.

O presente de uma deusa pode ser a cura da ferida de outra, ou a energia de apoio para o desafio. Suas histórias metafóricas representam um pacote de informação energética que usufruímos, nos identificamos e vestimos por assim dizer. Já que nosso inconsciente usa essas informações não só como meio de perceber e interagir na vida, mas de manifesta-la pra nós.

AtenaÁrtemis Hera Perséfone AfroditeDeméterHéstia

Livros Relacionados:

12 comentários sobre “Arquétipos das Deusas – Deméter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s